Crise Política em Formentera

 

Córdoba acusa dois de seus vice-presidentes e pede a demissão deles

Formentera, 12 de dezembro de 2023

O presidente do Consell de Formentera, Llorenç Córdoba, saiu ontem para a Praça da Constitució de Sant Francesc, por volta das 18:00, após uma reunião com os 16 consellers da instituição, tanto os que fazem parte da equipe de governo quanto os que estão na oposição, para refutar as acusações da Sa Unió, coalizão formada pelo PP e Comprís, da qual Córdoba foi o candidato nas últimas eleições.
O atual presidente reafirmou sua decisão de não renunciar apesar dos pedidos de sua própria equipe e acusou diretamente o terceiro vice-presidente, José Manuel Alcaraz, e Verónica Castelló, primeira vice-presidenta, ambos do PP, de orquestrar um plano para destituí-lo e tentar um “assalto ao poder”.

Apesar da situação complicada, Córdoba afirmou ter apresentado provas aos 16 consellers para respaldar sua inocência.

Córdoba sublinhou o seu compromisso com o programa da Sa Unió e mencionou a possibilidade de um bloqueio institucional se ceder às pretensões do partido que representa. Destacou a importância da estabilidade e expressou seu agradecimento à oposição pela qualidade humana e lealdade institucional.
Quanto à aprovação do orçamento do Consell de Formentera para 2024, Córdoba indicou que a aprovação dependerá da estabilidade institucional e da resolução da crise atual.

Declaraciones por parte dos Consellers

Após o encontro convocado pelo presidente, os membros da Sa Unió revelaram que Córdoba deu uma hora a dois de seus vice-presidentes, José Manuel Alcaraz e Verónica Castelló, ambos do PP, para apresentarem a sua demissão, acusando-os de tentar um “assalto ao poder”. Se não renunciassem, Córdoba ameaçou destituí-los.
O porta-voz da Sa Unió, Óscar Portas, classificou a situação como irresponsável e não descartou apresentar uma moção de censura.

Por sua vez, a porta-voz da Gent per Formentera (GxF), Alejandra Ferrer, e o porta-voz do PSOE, Rafael Ramírez, expressaram que precisam de tempo para analisar as explicações de Córdoba. Ferrer destacou a complexidade do cenário e a falta de provas para as acusações. Quanto à demissão ou continuidade de Córdoba, declararam que era uma decisão pessoal que ele, pessoalmente, deveria explicar aos meios de comunicação.
Rafael Ramírez, por sua vez, esclareceu que não se havia solicitado o apoio das forças de esquerda para aprovar o orçamento e afirmou que Córdoba apenas relatou os factos sem oferecer provas.

A crise institucional que o Consell de Formentera está a enfrentar está longe de ser resolvida, e a falta de um governo estável pode afetar vários setores da gestão da ilha. Desde a aprovação dos orçamentos para 2024 até a decisão sobre as concessões dos quiosques de praia para 2024.

Veremos como a situação evolui, sem dúvida, causando grande apreensão entre os cidadãos de Formentera.

Sou o Ramón Tur, o responsável por tudo o que é escrito e fotografado neste site sobre Formentera.
Descobri a ilha em 1972 quando os meus pais, a bordo do mítico Joven Dolores, me levaram pela primeira vez para passar alguns dias de férias desde Ibiza e foi amor à primeira vista, que ao longo do tempo, se fortaleceu até tornar Formentera no meu lugar de residência há muitos anos.
Se quiseres, podes seguir-me no perfil do Instagram: @4mentera.com_

Se estás a planear visitar Formentera...
dá uma olhada antes na nossa secção de códigos promocionais !